Blog

Startup: O que fazer quando as aceleradoras não acreditam no seu produto

Entenda os motivos que levam as aceleradoras a rejeitarem startups. Avalie se sua startup está pronta para ser acelerada e receber investimento.
Startup: O que fazer quando as aceleradoras não acreditam no seu produto
Publicado em

20

de

August

de

2023

Durante a fase de procurar aportes para sua startup, o que fazer quando os investidores simplesmente não enxergam o potencial do seu produto? Vamos te ajudar a enfrentar esse tipo de cenário com sucesso. 

Principais motivos de rejeição

Para começar essa conversa, é importante deixar o ego de lado e não levar pro pessoal, combinado? Aceleradoras podem rejeitar startups por diversos motivos e quase na totalidade das vezes isso não tem a ver com o empreendedor em si. Por isso, o primeiro passo é conseguir manter um certo distanciamento e usar esses momentos de buscas por aportes como oportunidades de melhoria e crescimento.

Claro que todo empreendedor que busca uma aceleradora quer que sua ideia seja comprada logo de cara, e por isso é importante estar bem preparado durante a apresentação, com um roteiro bem feito e um pitch deck bem construído, que te ajudem a mostrar para os possíveis investidores o potencial da startup.

Falta de planejamento e visão

Durante seu pitch, lembre que os investidores precisam entender seu modelo de negócio, ter clareza do caminho que você pretende traçar, e mais importante de tudo, confiar que você é a pessoa visionária capacitada para escalar esse projeto. 

Isso não quer dizer que seu planejamento necessariamente precise ser conservador, pelo contrário, é importante que, caso haja riscos envolvidos, estes estejam devidamente indicados e acompanhados de propostas eficientes.

O que você está buscando nessa fase é validação do mercado, portanto quanto mais claro seu planejamento, mais fácil de conquistar a confiança do seu público. Os investidores não buscam apenas um idealista apaixonado, é preciso que essa pessoa também se mostre comprometida com um planejamento realista e possível de ser executado.

Gestão financeira

Durante a busca por um aporte, não é segredo que a gestão financeira da startup 

será um dos fatores decisivos para um investidor. Se você está se preparando para essa jornada, garanta que seus indicadores financeiros estejam transparentes.

No começo é comum que contas bancárias estejam em nomes de sócios, e isso já é um indicativo negativo na percepção dos investidores. Opte sempre por contas empresariais para gerenciar as finanças da sua empresa.  

Lembre que os investidores sabem que, se você está procurando por novos aportes, não necessariamente seu caixa vai estar cheio, e isso não é um fator de rejeição por si só. O problema acontece quando a movimentação financeira da sua startup não está devidamente descrita, isso inclui receita, lucro e todos os demais gastos.

Empreendedores resistentes à mudança

Aceleradoras não servem apenas para injetar dinheiro, mas também para te ajudar com direcionamentos. É importante se manter fiel à sua empresa e proposta de valor, mas o mundo do empreendedorismo exige resiliência e flexibilidade.

Se abra para novas ideias, acate sugestões e entenda que mudanças são necessárias para alcançar objetivos maiores e mover os ponteiros para o lado certo. 

Time fraco

Para executar uma ideia de sucesso, você precisa de um time de sucesso. Sabemos que startups em early stage ainda estão construindo seus times e estruturando áreas. E parte do papel das aceleradoras é te ajudar na busca por talentos e entendimento dos papéis executores.

Entretanto, as pessoas que já fazem parte desse projeto, principalmente os sócios, precisam ter o potencial para fazer o negócio acontecer. Não tenha medo de aplicar critérios bem definidos para a escolha de quem vai trabalhar lado a lado na sua operação.

Timing

Pode parecer clichê, mas o papo de "projeto certo, na hora errada" é um cenário a ser considerado. Por exemplo, se a aceleradora está buscando aportar uma startup de segmento diferente ou até mesmo se o seu produto não está no nível de maturidade desejado.

Caso você passe por uma rejeição nesse sentido, busque entender exatamente qual foi o motivo da falta de fit. E não leve a mal, às vezes o match não acontece e o que se pode fazer é buscar outras alternativas de investimento.

Como saber se sua startup está pronta para ser acelerada

Buscar investimento pode parecer a prioridade de toda startup, mas antes de sair se inscrevendo em todo edital que vê pela frente, é importante analisar se sua startup está no momento certo para ser acelerada.

Será que eu preciso mesmo de um aporte?

Essa é a primeira pergunta a ser feita. Seu negócio já está maduro e pronto para ser apresentado para o mercado? Na fase de aceleração, garanta que sua ideia já tenha sido validada e com uma proposta de market fit bem alinhada. 

Lembre que aceleração é diferente de incubação. Tudo bem você ainda não ter algumas certezas, o ponto aqui é analisar se seu produto está redondo o suficiente para escalar e convencer investidores do potencial de tração.

Se você ainda precisa rever detalhes como modelo de negócio, MVP, ou até mesmo a proposta de valor, vale a pena reconsiderar o momento de buscar por uma aceleração.

Será que meu produto combina com quem irá me ajudar?

Assim como qualquer relacionamento, é preciso ter química entre seu produto e a aceleradora que vai investir dinheiro na sua startup. Isso porque você não deve buscar apenas por injeção de capital, mas também por especialistas capazes de te ajudar a tracionar seu negócio.

Por exemplo, se sua solução é voltada para educação, não faz sentido buscar aportes de aceleradoras experientes no segmento de saúde. O dinheiro pode até vir, mas o valor agregado de mentorias direcionadas, networking e até mesmo conhecimento do mercado vai faltar.

Quero me associar a uma aceleradora. O que fazer?

Se o momento está certo e o produto está no estágio ideal, chegou a hora de fazer acontecer. O primeiro passo é buscar editais abertos de aceleradoras que tenham o perfil que você está buscando. Vale seguir nas redes sociais e acompanhar editais públicos.

Para esse processo é importante ter um pitch pronto e as informações da sua startup bem organizadas e transparentes, para isso uma cap table pode te ajudar. Faça os cálculos do montante que deseja e de qual porcentagem da empresa você se dispõe a oferecer para a aceleradora. Geralmente essa porcentagem gira em torno de 5 a 20%.

Os modelos de aceleradoras mais conhecidos costumam ficar com as startups investidas por cerca de 6 a 8 meses, podendo variar. A Start Growth, por exemplo, tem uma proposta de trabalhar em conjunto no desenvolvimento da startup por um período de até 3 anos. Ter uma aceleradora como sócia exige grandes mudanças na operação, tenha certeza que você está preparado para o que vier.

Com tudo isso em mente, o caminho para mostrar o potencial do seu produto vai se tornando cada vez mais fácil de trilhar. Agora é só buscar a melhor aceleradora parceira pra fazer seu negócio decolar.

Aqui a sua startup é aprimorada com um método exclusivo que gera resultados incríveis

Posts relacionados com a categoria:

Blog

Para startups, investidores, aceleradoras e outras empresas do ecossistema de startups.

O que é corporate venturing e como impulsionar a inovação na sua empresa

Descubra o que é corporate venturing, seus tipos, vantagens e exemplos de sucesso. Saiba como o corporate venturing impulsiona a inovação na sua empresa
Leia mais

Ciclo de vida de startups: entenda as fases e os desafios para o sucesso

Aprenda sobre as fases do ciclo de vida de startups e como superar os desafios mais comuns em cada uma delas. Descubra estratégias para garantir o sucesso.
Leia mais

Melhores práticas para gerenciar seu cap table

Descubra as melhores práticas para gerenciar o Cap Table de sua startup. Saiba como manter seus registros de ações atualizados e evitar erros comuns.
Leia mais